Quando ela tinha apenas 10 anos de idade, seu primo lhe deu uma cachorra como animal de estimação, seus pais não concordaram muito com a ideia, mas acabaram aceitando o presente para a menina, visto a felicidade estampada em seu rosto. Ela cuidou do filhotinho durante todo o percurso até sua casa. Deu-lhe o nome de Catita, pois havia ouvido uma história em que uma cachorra havia salvo seu dono do ataque de um cachorro pitbull, e sentia como se essa cachorrinha também fosse lhe salvar de alguma forma.
Catita animava seus dias, era responsável pela menina sorrir mais nos últimos dias, chegava da escola e ia correndo brincar com sua cachorrinha, todos a elogiavam por sua beleza, principalmente por ser um animal de raça, mas isso não importava para a menina, o mais importante era a felicidade que ela lhe trazia.
Toda manhã, quando a mãe da menina não conseguia acordá-la, pedia para que Catita fizesse isso, a mesma pulava na cama da menina até ela acordar, as duas se cumprimentavam e ambas voltavam a dormir, abraçadas uma na outra.




Constantemente eu me sinto sozinha, como se não tivesse ninguém para conversar ou me apoiar. É um sentimento que não desejo pra ninguém, é algo doloroso, que aperta meu peito e sufoca minha alma. Eu não consigo explicar o que se passa dentro de mim, me vejo perdida entre pensamentos desconexos e uma confusão de sentimentos. Tento entrelaçá-los, para fazer com que façam sentido, mas é algo que parece ser impossível. Preciso de ajuda para lidar comigo mesma, mas não sei onde procurar. Sequer sei se vale a pena procurar ajuda, penso que talvez seja melhor deitar em minha cama e não acordar mais. Sei que ainda tenho muito o que viver, é o que todos dizem, mas tenho medo de como será meu futuro, pois meu presente tem sido solitário.


Sempre tenho a sensação de que o mês de agosto é interminável, parece que são 3 meses em um só. Vocês também tem essa impressão?
E apesar de ser um mês tão cansativo, ao mesmo tempo, tenho a impressão de que foi um mês bem parado. Algo bem estranho...


Livros:
Esse mês foi o mais desastroso em relação à literatura, pois não li nenhum livro! :(  Mas minha intenção agora para o mês de setembro é ler "A dança da Morte" do Stephen King, um livro de quase 1000 páginas, será que eu consigo?




Sinopse:
"Passamos grande parte da vida aprendendo a fingir. Sorrimos por educação e não choramos para não parecermos fracos. Fingimos ouvir enquanto pensamos no que falar. Falamos sabiamente, mas agimos por impulso. Eis a virtude do amadurecer para a vida: desprender-se do falso controle. Para vencermos essa doença chamada ansiedade, é necessária a manobra mais complicada a qual seremos submetidos: entender que não importa o quanto nadamos contra a correnteza da vida, ao fim, exaustos, seguiremos o curso por ela proposto..." O que é a existência senão uma sucessão de dias em busca de uma sensação de felicidade totalmente subjetiva? "Eu vi a rua envelhecer" reúne reflexões sobre as coincidências e possibilidades que a vida traz.

Autor: Felipe Sandrin
Páginas: 158