Eu me chamo Olivia e sou novata neste colégio e nesta cidade. Meu pai recebera uma promoção no emprego e eu tive que deixar para trás, meus amigos e meu namorado, Scott. Eu ainda estou no Ensino Médio, mas meu namorado já começou a faculdade, está cursando Jornalismo, estamos juntos há dois anos e tenho medo do que o futuro possa reservar para o nosso relacionamento, a distância pode ser um empecilho para nós.
Tenho 15 anos, o que significa que não é fácil conquistar novos amigos, principalmente porque eu tenho um jeito peculiar de ser. As pessoas se importam com a minha aparência, mas não é pela minha beleza que eu quero ser lembrada, prefiro ser reconhecida pela minha inteligência. Sempre fui uma aluna dedicada e espero continuar assim. Sou extremamente insegura, tanto nos estudos quanto na vida de modo geral, tenho receio de não alcançar meus objetivos e isso me atormenta todos os dias. Não costumo confiar nas pessoas que estão ao meu redor, outro motivo para me fazer acreditar que não terei amigos por aqui.


Querida Lenise,

Não sei se minhas atuais atitudes vão te deixar orgulhosa ou se você vai se decepcionar comigo. Juro que estou tentando fazer o melhor que posso, mas às vezes sinto que não sou capaz. Já conquistei muito do que havíamos planejado, mas ainda falta muito a ser realizado. Espero que você esteja colhendo os frutos que eu plantei e que eles sejam mais do que suficientes pra você.


Sinopse:

Em Falando o mais rápido que posso, Lauren Graham faz uma retrospectiva de sua vida e compartilha histórias engraçadíssimas sobre seu amadurecimento, o início da carreira da atriz e, anos mais tarde, como foi estar em seu trailer no set de Parenthood e se perguntar: “Será que eu, hmmm, cheguei lá?” Também expõe os desafios de ser uma mulher solteira de Hollywood – “Desconhecidos ficavam preocupados comigo; para você ver por quanto tempo fiquei solteira!” –, conta sobre a vez que pediram a ela que fizesse um teste para um papel com a própria bunda e relata sua experiência como jurada no Project Runaway – “Foi como se tivesse me dado um branco fashion”.
Em “Como foi – Parte um”, Lauren encara uma maratona épica de Gilmore Girls e relembra a sensação de ter sido chamada para interpretar a eloquente Lorelai Gilmore. Em “Como foi – Parte dois”, conta, em primeira mão, a experiência de voltar ao papel nove anos depois e o que isso significou para ela.
Outras coisas que você também vai descobrir sobre Lauren: certa ocasião ela tentou ser vegana só para ter algo em comum com Ellen DeGeneres; ela sabe que conhecer caras interessantes pode ser perigoso – “Se você aparece em um primeiro encontro depois de passar três horas fazendo cabelo, maquiagem e escolhendo a roupa, seu padrão está alto demais” – e que ela tem uma teoria muito interessante sobre papel toalha. Sim, papel toalha.
Além de trazer fotos e trechos do diário que Lauren manteve durante a gravações de Gilmore Girls: um ano para recordar, a mais recente temporada da série, este livro é como uma noite agradável em casa batendo papo com sua melhor amiga, rindo, contando muitas histórias e – é claro – falando o mais rápido que você puder.

Autora: Lauren Graham
Páginas: 240